Psicografia – Preconceito

Queridos irmãos,
Segue com muito amor, uma linda mensagem psicografada , enviada pelo querido Irmão Matheus da Colônia Espiritual Maria de Nazaré
Que possamos ser gratos a todo amparo e carinho que esses amados irmãos nos proporcionam
image

 

Preconceito

Vamos analisar esse fantasma que apesar de habitar o interior dos corações, poucos têm a coragem de assumi-lo e assim buscarem os recursos necessários para enfrenta-lo.
Quando falamos em preconceito, logo imaginamos pessoas cruéis, que se aproveita de uma deficiência (segundo nossos critérios) do outro para excluí-lo do convívio social. Mas serão essas as características verdadeiras dos preconceituosos?
Existem muitos preconceituosos que vivem escondidos nas máscaras de bonzinhos, de coitados ou ainda de incompreendidos.
Analisemos algumas atitudes corriqueiras.
Uma pessoa que está diante de um problema e diz: … não vou conseguir…, ou ainda … tenho mania de perfeição e assim fico sobrecarregado, pois somente eu posso executar essas tarefas… e para finalizar, … Fulano é mentiroso….
Quando dizemos e nos colocamos na posição de que somos incapazes de superar os problemas que se originaram de nossas próprias atitudes, estamos na verdade prejulgando nossa capacidade infinita de aprendizado e negando nossa semelhança com o Criador (vós sois deuses).
Quando assumimos que queremos tudo perfeito e ninguém mais é capaz de executar tais tarefas como nós, estamos novamente prejulgando a capacidade do outro e o pior nos achando os melhores e insubstituíveis.
Quando dizemos que determinada pessoa é mentirosa, estamos prejulgando que ela permanecerá assim para sempre, ignorando a Lei Divina que nos ensina que todos fomos criados para alcançar a perfeição relativa.
Observem meus amigos, como em todas as situações banais, partimos do preconceito ou prejulgamento, para emitirmos nossas opiniões. Assim será que nos consideramos pessoas cruéis?
Será que estamos nos aproveitando da deficiência do outro para excluí-lo?
Logicamente que não, deve ser a resposta da maioria, pois afinal vamos à casa espírita, lemos o evangelho, participamos de palestras… Somos bonzinhos. Passamos por muitas privações para conseguir ir à casa espírita… Somos coitados, estamos sempre sendo incompreendidos.
O que acontece é que os preconceitos na verdade não possuem um embasamento dentro das lições do Mestre Jesus, mas em nossas imperfeições. Como aprendizes em busca da perfeição relativa, cometemos inúmeros equívocos e carregamos em nosso eu conceitos e ideias equivocadas.
O que significa realmente a palavra preconceito?
A sua etimologia nos diz que a palavra é formada do prefixo de origem latina pré (anterior) mais o substantivo conceito (opinião, julgamento). Assim podemos entender que preconceito seja uma opinião ou julgamento preconcebido com base em nossas experiências e conceitos que trazemos como verdades. Verdades que são por demais fragmentadas, pela nossa condição de imperfeitos, não nos fornecendo segurança para um veredicto final.
Vivemos na primeira situação apresentada o auto preconceito, onde não aceitamos os ensinamentos dos Espíritos Superiores que nos esclarecem que podemos ser deuses, que podemos mudar e alcançar a perfeição relativa, basta um mínimo de vontade. Mas preferimos nos limitar ao auto preconceito permanecendo em nossa zona de conforto e em nossas meias verdades.
Ao julgarmos que ninguém é competente o suficiente para executar nossas tarefas, novamente estamos sendo preconceituosos e nos deixando levar pelo orgulho, nos achando melhores que outros e o pior insubstituíveis. Desconsideramos as potencialidades de cada ser. Nossa prepotência na cega. Insubstituível é apenas o compromisso que assumimos conosco mesmo, ainda no plano reencarnatório de colocar em prática todos os ensinamentos e reparos necessários, através da oportunidade de uma nova vida.
Cada vez que rotulamos pessoas, estamos sendo preconceituosos, e dando vazão ao nosso orgulho nos achando superiores. Mas enquanto aprendizes estamos todos consolidando virtudes e procurando diminuir os equívocos. Não somos espíritos acabados e fadados a viver no erro. Ao vivermos um equívoco, não significa que somos um. Lembremos que estamos em constante transformação e o fato de não errar hoje não significa que não tropeçaremos e precisaremos nos levantar novamente. Assim não somos melhores uns que os outros; nascemos todos simples e ignorantes. Apenas vivemos momentos de aprendizado diferentes.
Somos infinitamente pequenos diante da grandeza do que temos que aprender. O orgulho disfarçado de preconceito nos impede de ampliar esses horizontes.
Não mencionamos os preconceitos propagados pela mídia como o racial, social, religioso, sexual, etc., pois achamos que esses já são bem conhecidos, mas colocamos exemplos daqueles que nem sequer imaginamos que sejam preconceitos.
Não será pré julgando, buscando meias verdades, ou ainda vivendo de aparências que construiremos o amadurecimento. Cabe a cada um desenvolver as virtudes que o os elevarão, a fim de iniciarem o processo de regeneração, de forma a vivermos todos como o Pai desejou… No Amor Fraternal, nos auxiliando mutuamente.
Estejam meus queridos amigos, com o Amor que não se prende a preconceitos, mas se expande a todos os cantos levando esperança e VIDA!

26/01/2015
Médium: Lúcia (Casa Virtual Luz Espírita CAVILE)
Espírito: Irmão Matheus (Colônia Espiritual Maria de Nazaré)

Deixe uma resposta

Translate »