Psicografia – A Comunicação

Queridos irmãos,
Segue com muito amor, uma linda mensagem psicografada , enviada pelo querido Irmão Matheus da Colônia Espiritual Maria de Nazaré.
Que possamos ser gratos a todo amparo e carinho que esses amados irmãos nos proporcionam .

Psicografia - A Comunicação

 

A Comunicação

Com a globalização e os dias intensos que se vive, a comunicação tornou-se fundamental. Mas o mais interessante é que apesar dessa necessidade constante, o homem ainda enfrenta muitos obstáculos na sua efetivação.
Como um ser social o comunicar-se deveria ser um processo natural, mas ainda é complicado colocar através de palavras (ditas/escritas) o que se sente, se pensa de si, dos outros e do mundo ao redor. Por isso muitos arrependimentos, discussões e confusão. Então como superar essas causas indesejáveis e viver de forma mais leve, comunicando-se de forma clara, objetiva e sempre com muito respeito e amor?
Primeiramente vamos entender o processo…..para que haja a comunicação se faz necessário um emissor e um receptor, e ausências de ruídos.
O emissor pode , sem perceber , emitir ruídos em sua comunicação o que vai dificultar o entendimento do receptor. Entre os ruídos mais comuns está a incapacidade de se entender as emoções, os sentimentos e consequentemente não saber como defini-los ao outro. Um exemplo simples é quando vamos acumulando diversas frustrações em relação ao outro, pelas expectativas e fantasias idealizadas e que não são o outro. Assim num determinado momento, numa conversa banal, acaba-se por colocar toda essa frustração….. e o outro , logicamente, não entende o porquê. A comunicação é muito mais eficaz quando pontuamos o que nos frustra, irrita ou o que desejamos. Nem todos têm a percepção de entender o que o outro precisa, deseja , se ele não disser, e muito menos atender suas fantasias.
Outro ruído comum , é quando , o receptor traz uma visão preconceituosa do emissor, ou do assunto abordado. Dessa forma ele não estará ouvindo a mensagem, mas já se programando para a resposta padrão dentro de sua imagem preconcebida. Por cada criatura ser única, com qualidade e defeitos, devemos procurar ouvir o outro, permitindo que se revele a nós através de suas idéias e modo de ser. Toda vez que o receptor prejulga está criando um ruído que poderá alterar completamente o entendimento da mensagem, um exemplo fácil é quando se acha que tudo é fácil para todos, e alguém vem desabafar por não conseguir executar determinada tarefa. Nem ouvimos o que aconteceu, apenas prejulgamos achando que a pessoa não se esforçou o suficiente ou ainda que foi preguiçosa….se tivéssemos parado para ouvir, teríamos percebido que ela tentou, mas por não conhecer um detalhe do
processo acabou se atrapalhando….portanto não foi preguiça, ou falta de empenho, mas desconhecimento.
A comunicação exige treino, paciência, humildade e muito amor. Não é somente com palavras ditas ou escrita que nos comunicamos. Falamos também através do olhar, do tom de voz, da postura corporal, por isso , muitas vezes esses complementos da comunicação acabam por revelar verdades que não conseguimos expressar…esses seriam os ruídos bons, se assim podemos chamar, que nos impedem de continuar camuflando quem somos, ou quem queremos projetar….um exemplo comum é quando dizemos que não estamos mais ressentidos, e nosso olhar está fulminando o outro. Não seria melhor dizer que no momento ainda estão com sentimentos de raiva, tristeza, mas que tão logo isso passe vão poder sentar e conversar novamente? Não seria muito mais produtivo?
Ou ainda quando o outro começa a falar mas estamos longe, com muitos problemas e não conseguimos prestar atenção no que está sendo dito, mas ao final , dizemos qualquer coisa só para fazer de conta que ouvimos….não seria melhor dizer a verdade: que no momento, não consegue ouvir o outro pois está com muitos pensamentos, mas que tão logo consiga estar mais sereno, será uma grande alegria poder ouvi-lo e ajudá-lo no que for possível? Pois do contrário estaremos passando a imagem de que não nos importamos, ou interessamos pelo outro.
Podemos ampliar o conceito de comunicar-se para a comunicação com o nosso eu, com o Pai e com os espíritos.
Comunicar-se com o eu, é serenar para ouvir a voz da própria consciência, retirando os ruídos (desculpas, justificativas)….dessa forma poderemos nos conhecer melhor, assumindo nossos pontos ainda frágeis e consolidando nossos pontos fortes….somente assim poderemos avançar na nossa reforma íntima.
Comunicar-se com o Pai, é humildemente colocar-se em silêncio interior, colocando nossas dúvidas, anseios, certos de que de alguma forma teremos a resposta, seja através de acontecimentos, amigos, mensagens, leituras, da natureza, enfim de tudo que nos circunda. Acreditamos no Amor do Pai e em sua infinita bondade nos proporcionando o aprendizado condizente com nosso grau de evolução.
Comunicar-se com os espíritos desencarnados é desenvolver sintonias elevadas, a fim de que se possa ser instrumento de mensagens de consolo, ânimo, luz e aprendizado para todos que necessitam….é também ser o caminho pelo qual chega a orientação e o conhecimento aos que buscam luz.
Meus queridos amigos, comunicar-se é a arte de propagar o amor.
Estejamos, portanto , mais conscientes e cuidadosos com as palavras que proferimos e escrevemos, sejamos pacientes e humildes sabendo ouvir o outro, sem prejulgamentos, mas com muito amor e carinho. Sabemos que todos seremos um dia espíritos próximos da perfeição, enquanto isso , sejamos pontes que propiciem a troca de conhecimento e amor, engrandecendo o aprendizado.
Que a luz se faça presente em todas as comunicações,
Com carinho
09/02/15
Médium: Lúcia (Casa Virtual Luz Espírita CAVILE)
Espírito: Irmão Matheus (Colônia Espiritual Maria de Nazaré)

Translate »