Microcefalia sob a Ótica Espírita

A microcefalia pode decorrer de anomalias congênitas ou ter origem após o parto. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a microcefalia é caracterizada pela medida do crânio ao nascer, em que o perímetro cefálico apresente medida de 31,9 cm, para menino, e igual ou inferior a 31,5 cm, para menina. As causas da microcefalia envolvem fatores genéticos e ambientais.

Os bebês acometidos pela microcefalia podem apresentar atraso no desenvolvimento e déficit intelectual, convulsões e limitações físicas, dificuldades auditivas e visuais. Todavia, algumas dessas crianças terão um
desenvolvimento neurológico normal ( Ministério da Saúde).

Em outubro de 2015 teve uma epidemia de microcefalia no país, que ocorreu meses depois da transmissão do Zika vírus no Brasil, surgiram diversos casos de microcefalia por todo o país e com mais intensidade no Nordeste ( FÉLIX e FARIAS, 2018) . Com toda essa ocorrência, as pessoas acabam se perguntando o porque disso acontecer, para nós da Doutrina Espírita, isso não é por acaso.

Esta situação, na visão da Doutrina Espírita, se enquadra nas chamadas provações coletivas, um resgate coletivo. São Espíritos que apresentam necessidades de provas ou expiações semelhantes, com isso são atraídos a lugares ou situações, onde os graves desequilíbrio apresentados por esses espíritos são tratados coletivamente.

Nas doenças chamadas de congênitas, que a criança já traz ao nascer, não pode ser atribuída ao acaso ou a má sorte elas passarem por esta situação.

Há casos também em que esses espíritos reencarnam com este problema para ajudar os familiares a desenvolverem boas qualidades, a terem mais paciência, para desenvolver o cuidado pelo próximo, a compaixão, a generosidade, e pela minha rotina com crianças portadoras de microcefalia, considero que essa ajuda se estende também as pessoas que convivem com elas, como os profissionais que trabalham para promover as elas uma melhor qualidade de vida, pois normalmente essas crianças e seus familiares nos ensinam muito, sobre o amor, aceitação, resignação, tolerância, paciência, cuidado e amor ao próximo.

De acordo com Monducci (2016), ao lado da prova-expiação há, também, a possibilidade da encarnação como tarefa na qual o Espírito reencarnante aceita o desafio de colaborar com os cientistas, a fim de juntos buscarem superar os limites do conhecimento humano. Na microcefalia, em função da grande diversidade de manifestações clínicas, há muito a ser estudado e descoberto; diferente do cenário como a anencefalia, que não oferece as mesmas possibilidades no âmbito da ciência.

Nos casos de prova e expiação precisamos atentar para o fato de que a justiça divina pressupõe equilíbrio e proporcionalidade entre a falta cometida e o reparo que redime o faltoso. A Doutrina Espírita nos esclarece que estamos num mundo de efeitos, de consequências, onde percebemos que na reencarnação encontra-se o “por que” para compreendermos o que está ocorrendo, as causas e as consequências.

O Livro dos Espiritos nos traz alguns esclarecimentos, dentre eles a questão 132:

“Deus impõe a encarnação com o objetivo de fazer os espíritos chegarem a perfeição. Para alguns a encarnação é uma expiação, para outros é uma missão. Todavia, para alcançarem essa perfeição, devem suportar todas as vicissitudes da existência corporal; nisto é que está a expiação.” (…)

O cenário clínico da microcefalia é pontuado por um retardo do desenvolvimento psicomotor com graus variáveis de retardo mental para cada caso em particular. Esse cenário proporciona para as mães, em especial, e para o restante da família de uma criança com microcefalia a oportunidade de colimarem esforços aprendendo a trabalhar de forma integrada e harmoniosa para a construção de um ambiente doméstico onde impere um estado de positiva fraternidade voltada para o bem do próximo.

Além disso, como o nível de retardo mental é muito variável de uma criança para outra, todo dia pode ser o dia de uma nova descoberta e de uma nova conquista ( MONDUCCI, 2016 ).

O aborto nos casos de microcefalia, perante a Lei Divina, é totalmente injustificado, pois essas crianças, embora venham a apresentar quadros de deficiência mental, serão passíveis de educação e treinamento, como outros casos de deficiência mental que ocorrem na sociedade atual.

Os Espíritos desses bebês são espíritos que já viveram muitas outras vidas, com erros e acertos. Os aspectos espirituais por trás desta situação é que são espíritos que precisam passar pela experiência da microcefalia, é um processo de cura para as dificuldades espirituais desses espíritos.

É muito importante a família se doar, porque tudo tem uma razão de ser, é a Justiça Divina atuando, mesmo que não compreendemos no momento. Que esses casos sirvam para a sociedade em geral, para sensibilizar-nos e nos levar a praticar o bem, a vivenciar o amor, a caridade, a paciência, o amor ao próximo e o desinteresse pessoal.

Referências


FÉLIX,Vanessa Preira da Silva Rodrigues; FARIAS, Aponira Maria de; Microcefalia e dinâmica familiar: a percepção do pai frente à deficiência do filho. Cadernos de Saúde Publica. 2018.


Ministério da Saúde. Protocolo de vigilância e resposta à ocorrência de microcefalia e/ou alterações do sistema nervoso central (SNC). http://combateaedes.saude.gov.br/images/sa la-de-situacao/Microcefalia-
Protocolo-de-vi gilancia-e-resposta-10mar2016-18h.pdf (acessado em
25/01/2020).

MONDUCCI, David Vieira. O lado espiritual da Microcefalia. Jornal Correio Fraterno – Edição 468 março/abril 2016. https://www.correiofraterno.com.br/index.phpoption=com_content&view=article &id=1813:o-lado-espiritual-damicrocefalia&catid=14:entrevista&Itemid=2 (Acessado em: 25/01/2020).


ROSSIT, Fernando. Microcefalia na Visão Espitíta. https://www.kardecriopreto.com.br/microcefalia-na-visao-espirita/ (Acessado em 25/01/2020).

Deixe uma resposta

Translate »