Depressão: contribuições da Doutrina Espírita

A depressão é considerada uma perturbação do estado do humor que atinge a esfera dos interesses, da vontade, da capacidade cognitiva e a regulação dos instintos. Não deve ser confundida com sentimentos de  tristeza, que vem, normalmente em resposta a acontecimentos marcantes da vida, que  passam com o tempo e que, geralmente, não impedem a pessoa de ter uma vida de acordo com o que pretende (CARVALHO, JARA e CUNHA, 2017).

A definição de depressão para a Doutrina Espírita, é a mesma que a medicina lhe dá, ou seja, é o conjunto de sinais e sintomas depressivos (tristeza, falta de prazer, insônia, perda de apetite, choro fácil, etc), que duram mais de duas semanas (MELO, 2012).

Mas bem sabemos que a Doutrina Espirita nos ensina que toda doença tem suas origens em transtornos da alma, do nosso espírito e que qualquer doença que atinge nosso corpo físico tem grande ligação com a situação espiritual em que nos encontramos. A ligação dos fluidos com o cérebro é a responsável pelas impressões físicas que o nosso corpo vai receber a cerca da nossa espiritualidade.

A depressão também está ligada a questões muitos profundas de cunho espiritual que merecem muita atenção. Assim podemos entender que a mesma se trata de uma doença do corpo e da alma, e seus efeitos são extremamente danosos e na maioria das vezes, silenciosos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, estima-se que, no mundo, 350 milhões de pessoas sofram de estados depressivos e que em 2020, esta será a segunda doença que mais roubará tempo de vida útil da população, perdendo apenas para as doenças do coração (CARVALHO, JARA e CUNHA,
2017; PESSENDA, 2018).

De acordo com muitos especialistas, hoje existem mais pessoas sofrendo de depressão do que qualquer outra doença, pois ela ocorre em todos os lugares, tanto nas áreas urbanas como nas rurais, atinge desde pessoas bem sucedidas como também trabalhadores desempregados, pessoas de qualquer faixa etária. O que piora ainda mais a situação, é o fato de muitas
delas estarem desconsiderando a importância dos tratamentos médico, psicológico, psiquiátrico e também espiritual.

Embora não seja totalmente claro o que causa, especificamente, os estados depressivos, a investigação aponta para que seja uma combinação de fatores genéticos, biológicos, contextuais e psicológicos. Existe uma predisposição hereditária para alguns tipos de depressão, embora não se conheçam ainda as formas precisas dessa transmissão (CARVALHO, JARA e
CUNHA, 2017).

Sabemos também que os acontecimentos traumáticos da vida contribuem também para o aparecimento da depressão, assim como problemas familiares, o estresse diário, ou não, a morte de alguém próximo, os estados de doença, uma crise financeira, conflitos prolongados, podem funcionar como facilitadores, de episódios depressivos.

O médico clínico geral situa-se numa ação de primeira linha no diagnóstico e tratamento da depressão, os médicos psiquiatras atendem os casos mais difíceis. A orientação terapêutica depende do tipo e da gravidade da depressão, bem como da presença de outras doenças, medicações concomitantes e de outros fatores (CARVALHO, JARA e CUNHA, 2017).

A intervenção de outros profissionais, como os enfermeiros, os psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais e professores de educação física, são ações complementares necessárias, sabendo-se que só as terapêuticas combinadas asseguram uma recuperação mais eficaz a longo prazo.

As pessoas com depressão, encontram na Doutrina Espírita e nos Bons Espíritos, excelente concurso à recomendação da saúde e da alegria e pode-se até chegar a cura através dela, mas é importante que saibamos que não será o Espiritismo em si que irá fazer isso (FRANCO,2017).

O Centro Espírita possui meios de amparar através do atendimento fraterno, das palestras doutrinárias, dos passes e dos estudos doutrinários.
Segundo Emmanuel “não existe melhor remédio que o Evangelho.” Logo o Espiritismo pode ser uma instrumento de grande importância para auxiliar
quem se encontra perdido em meios aos tormentos da depressão.

Através da Doutrina Espírita passamos a conhecer melhor as causas das  dores da nossa alma, a nos conhecer melhor, a entender o sentido da vida, passamos a compreender a importância do sofrimento para o nosso crescimento espiritual. E acima de tudo, aprendemos com ela a importância do amor verdadeiro e da caridade, o nos dá a certeza de que sem caridade não existe salvação.

Gama, 2018, deixa claro que nenhum Centro Espírita ou Espírito Superior irá indicar JAMAIS que se pare o tratamento médico de qualquer doença.

A Doutrina Espírita tem papel importante na cura da depressão, porém não é exclusiva. Através dela e da reforma íntima a pessoa passa a enxergar melhor o caminho que pode levá-la a cura. O tratamento médico é  indispensável, contudo, o tratamento espiritual pode ajudar e muito. Sendo
uma doença ligada com fluídos mentais, existem tipos de passes que podem
auxiliar no alívio dos sintomas psicossomáticos e com isso tornar a  caminhada em direção a libertação espiritual desta doença menos dolorosa.

O caminho para a cura da depressão é doloroso e muitas vezes complicado, mas com muita oração, tratamento médico e espiritual e acima de tudo, através do autoconhecimento, estaremos livres de nos tornarmos reféns
de nossas próprias mazelas.

Aos que procuram na Doutrina Espírita auxílio para depressão, sejam bem-vindos, saibam que o caminho não é fácil, mas a conquista é sublime. Estudem, tenham força de vontade, procurem conhecer a si mesmo e juntos venceremos todas as batalhas de nos tornarmos espíritos melhores.

 

Autora: Ana Paula Soares Bezerra

 

REFERÊNCIAS

CARVALHO, Serafim; JARA, José manuel; CUNHA, Inês Bandeira. A depressão é uma doença que se trata. Associação de Apoio aos Doentes
Depressivos e Bipolares. 2017.

FRANCO, Divaldo. O Espiritismo pode ajudar na cura da depressão?. 2017.
http://www.umcaminho.com/2017/02/duvidas-dos-leitores-o-espiritismo-pode- ajudarnacuradadepressao/

GAMA, Felipe. Depressão – Visão Espírita. Espiritsimo da Alma. 2018.
https://espiritismodaalma.wordpress.com/2018/09/15/depressao-visao-
espirita/#more-943 Acesso 20/09/2019

MELO, Cláudio Vieira. A visão espírita da depressão. Correio Fraterno. 2012.

PESSENDA, Silvia HelenaVisnadi. Depressão. À Luz do Espiritismo. 2018.
http://www.aluzdoespiritismo.com.br/artigos/89/depressao Acesso: 20/09/2019

Translate »