Psicografia – Harmonia a chave do aprendizado

harmoniaachave

Harmonia a chave do aprendizado

A harmonia está no íntimo de cada criatura.

É, pois ensejo do Pai que consigamos o equilíbrio, a harmonia, pois somente assim estaremos aptos a vivenciar o Amor e as obras para o bem.

Desta forma entendemos que a harmonia é a chave do aprendizado para uma vivência completa e uma evolução moral.

Concentremo-nos meus amigos, por alguns minutos.

Deixemos que a mente nos traga imagens que simbolizem a harmonia, o equilíbrio plasmado pelo Criador.

Agora peço que analisem essas imagens.

Mesmo sem saber o que visualizaram, é fácil saber de que em todas estava presente a paz, a ternura e o hálito do Divino.

A harmonia é um processo interior, onde todo o nosso ser está em equilíbrio, onde nos sentimos parte integrante e responsável de um Todo complexo, que por muitas vezes, nem conseguimos alcançar a sua real dimensão.

Lembram-se da Teia da Vida? Da ligação existente entre tudo e todos?

Nesta Teia está inserido o verdadeiro e profundo sentido de harmonia. Tudo e todos dependem uns dos outros. Somos todos parceiros na jornada de evolução a que nos destinamos.

Devido as nossas imperfeições e do muito que ainda temos para aprender, vivemos momentos de instabilidade, ou seja, de escassez ou excessos. Prisão ou liberdade; espiritualidade ou materialidade, amor ou ódio, ser ou ter e tantos outros dilemas. Será que realmente esses sentimentos, essas situações são tão antagônicas e impossíveis de serem vividas por inteiro? Por exemplo: quantos estão em liberdade e se sentem presos?   Quantos estão presos e se sentem livres?

Tudo é relativo. O homem é um ser multifacetado, com muitas necessidades visto que é a interação do espiritual com o material.

Em nosso vai e vem diário acabamos por dedicar muito tempo às conquistas materiais nos esquecendo, ou melhor, tirando da lista de prioridades as conquistas morais e espirituais.

Alegamos excesso de trabalho, crises econômicas, globalização… Mas nada disso justifica a nossa inapropriada atitude de nos deixarmos levar pelo trivial da vida.

Vemos corpos belos, esculpidos por muitas horas de exercícios, dieta elaborada e muita, mas muita vontade e persistência, não é mesmo? Pois se não exigisse tamanha dedicação uma “barriga tanquinho” não seria tão aplaudida e cobiçada.

Mas infelizmente não observamos a mesma dedicação e empenho para o cultivo de um espírito desse porte, com muitas virtudes. Vemos espíritos fracos, debilitados entregues ao abandono.

Onde se encontra a harmonia então?

Há outras situações em que alguns desejam viver exclusivamente para o desenvolvimento de seu espírito.

Ocupam-se de estudos, de formas diferenciadas de aprendizado para conseguirem a iluminação, e não se importam com nada que seja material. Esquecem-se do corpo físico, das contas, das obrigações para com a sociedade e família.

Podemos dizer que seja um ato de coragem diante de nossa sociedade materialista, ou seria uma fuga?

Seja qual for à resposta, é certo de que não será dessa forma que conseguirão a harmonia.

Não é prudente nos esquecermos de que o saber, a teoria só tem valor quando aplicada em nosso dia a dia.

É preciso socorrer aos que estão desamparados, é preciso assumir as atividades e desenvolver das casas espíritas, mas muitas vezes nos esquecemos das palavras do Mestre Jesus que nos ensinou a deixar de fazer oferendas e ir primeiro se reconciliar com os irmãos.

Entendemos que devemos começar a harmonia, o nosso exercício do bem com as pessoas mais próximas de nós, com nossa família. Como? Se fazendo presente, sendo consolo, carinho e apoio. Essa é nossa primeira missão e se assim não o fosse não precisaríamos de uma família para reencarnar.  De nada adiantam os estudos para o desenvolvimento do espirito se não os vivenciamos. Serão apenas informações.

Ouso ir mais além… Antes da família ainda, é preciso o encontro consigo mesmo. É preciso buscar o equilíbrio interno. E este só é conseguido quando cuidamos do espírito e do corpo carnal, nosso instrumento para as vivências e aprendizados do espírito encarnado. É através dele que conseguimos desenvolver as ações e atitudes para o bem.

Toda vez que relegamos nosso organismo, toda vez que cometemos excessos e nos privamos de coisas essenciais, estamos lentamente destruindo o nosso instrumento de trabalho, tornado nossa missão incompleta.

Vivendo essa desarmonia, estaremos destruindo gradativamente o nosso instrumento de trabalho. Ato que será considerado suicídio involuntário.  Pois não foi permitido, conforme nosso planejamento reencarnatório, o cumprimento da missão que nos propusemos.

Caminhemos, pois vigilantes, procurando viver em equilíbrio a cada nova situação.

A harmonia nos leva a comunhão com o Pai, nos fazendo cocriadores da teia da Vida.

Sendo o homem multifacetado não poderá jamais viver somente da matéria ou só do espírito. Assim como não pode viver somente de religião, ou só de ciência, ou só da beleza das artes, ou só dos bens materiais. Precisa da interação de todos esses elementos para se sentir verdadeiramente pleno. E nessa plenitude encontramos o equilíbrio.

A Espiritualidade a pedido do Mestre Jesus vem nos revelar essa verdade com a doutrina espírita que não se limita a ser somente uma religião, ou uma filosofia ou somente ciência.

É muito mais, é a integração de todos esses saberes possibilitando ao homem saber, sentir e agir em perfeita harmonia.

Amigos, busquemos essa semana refletirmos e treinarmos o desenvolvimento do que ainda está latente em nós e precisa ser desenvolvido a fim de que sejamos realmente colaboradores na teia que nos une ao Pai.

Deixo o meu mais profundo apoio no processo de harmonização interior, para depois galgarem a harmonia com o Cristo e seus benfeitores na solidificação do mundo de regeneração.

 

Médium: Lúcia (Casa Virtual Luz Espírita).

Espírito: Matheus (Colônia Espiritual Maria de Nazaré). 

03.12.2013

Translate »