Psicografia – Omissão

Queridos irmãos,

Segue com muito amor, uma linda mensagem psicografada , enviada pelo querido Irmão Matheus da Colônia Espiritual Maria de Nazaré.

Que possamos ser gratos a todo amparo e carinho que esses amados irmãos nos proporcionam .

Psicografia - Omissão

 

Omissão

Hoje meus amigos, os convido a refletirmos sobre omissão, que se
encontra tão arraigada em nossos corações.

Vários conceitos surgem como: “ficar em cima do muro”, ou símbolo
de covardia dentre tantos outros.

Omissão segundo a versão mais clássica é na verdade a falta de
ação no cumprimento de um dever. E assim continuamos nossos
questionamentos: que ação é essa?

E responsabilidade com que dever?

Com os noticiários e a crise que todos vivem, muitos acreditam que
não ser omisso diante do cenário político/econômico, seja simplesmente
se manifestar de forma grosseira, usar de violência seja verbal ou
corporal, para expressar sua indignação.

Confesso que também tive momentos, enquanto encarnado em que a
situação estava tão fora de controle que sai junto com esses para ver
se com a onda de indignação, raiva e descontrole as coisas mudariam,
mas meus amigos lhes asseguro que nada aconteceu.

Ao contrário o desequilíbrio exterior passou a fazer parte de mim,
desequilibrando o meu interior.

Vamos nos reportar ao nosso Mestre. Como ele agiu diante dos
escândalos, e injustiças da sociedade de sua época?

Com certeza ele não usou de violência verbal ou corporal, mas sim
da bondade, do amor e principalmente de seu exemplo, mostrando a
atitude correta a ser seguida.

Decepcionou a muitos que esperavam do Messias, uma postura de
guerreiro ou revolucio-nário, ou ainda de político. Judas quando o
entrega tinha certeza de que Ele seria capaz de usar de seu poder de
convencimento para combater as acusações e ainda conquistar o poder
político. Foi uma decepção para Judas quando o Mestre, na visão dele
se colocou omisso e passivo.

E assim volto a questionar… Qual seria nossa posição hoje para
não sermos omissos, com a falta de valores e moralidade?

Qual seria o nosso dever perante o hoje?

Voltando a definição básica omissão é falta de ação. Se somos
cristãos, se seguirmos Jesus, vamos perceber que essa falta de ação
não significa violência, como já mencionamos, mas falta de vontade. De
utilizarmos o nosso livre arbítrio no desenvolvido de valores, de
ações verdadeiras que nos coloquem num patamar diferente da maioria
que desprezamos.

Não adianta usarmos palavras ofensivas, contra o poder, se dentro
de minha limitação enquanto ser comum na sociedade, nos pequenos
detalhes eu ajo de má fé, eu procuro utilizar sempre o jeitinho para
ter privilégios, ou tirar vantagem do outro.

Ou ainda quando não entendo que a mudança precisa iniciar-se em
mim, no meu interior, para que possa ser refletida exteriormente.

Por quanto tempo construímos esse cenário de caos?

Por quanto tempo valorizamos mais o ter do que o ser?

Por quanto tempo investimos no imediatismo das ações inconsequentes?

Pois é… Agora não conseguiremos a mudança de um dia para outro.
É preciso mudar as sementes meus amigos, caso contrário continuaremos
colhendo esses mesmos frutos.

Temos o dever de construir hoje através da educação de valores que
possam trazer a dignidade e a moral novamente a sociedade. Todos somos
responsáveis pelo presente e não somente os que estão no poder. Assim
todos somos omissos.

Quando nos omitimos de compartilhar escândalos e hipocrisias não
estamos sendo omissos enquanto cristãos.

Mas quando deixo de compartilhar exemplos de condutas corretas, de
fatos que nos elevem a moral e sirvam de exemplo, quando deixo de
ensinar através de meus exemplos, neste momento estou sendo omisso.

Vocês conseguem perceber a diferença?

Grandes figuras do passado que consideramos modelo de
pacificadores e administrado-res, souberam ser lideres pelo exemplo. É
o exemplo que levará multidões aos caminhos do bem ou da perversidade.
Não acredito que precisemos citar nome, pois a própria história já se
encarregou disso.

Sabemos que pensamento é energia e como tal cada vez que divulgo
escândalos, atrocidades e corrupção, estou espalhando toda essa
energia e impregnando a psicosfera que vivemos. Por isso há esse
desequilibro tão grande.

Reflitam comigo, no desequilíbrio geral, alguém consegue ver a luz?

Ou ainda apontar soluções realmente viáveis?

Para encontrar soluções é preciso serenar a mente, o coração a fim
de que as boas inspirações e o bom senso retomem o controle.

Para que as manchetes sejam realmente absorvidas pela maioria como
forma de aprendizado e mudança, é necessário a educação, o saber
interpretá-las. É necessária a construção do dever de que cada um hoje
seja melhor que ontem e amanhã seja melhor que hoje. Cuidemos de
nossas ações diárias, reflitamos sobre o que realmente estamos fazendo
e quantas omissões vivemos no dia a dia.

Vamos a um exemplo corriqueiro. Nosso próximo mais próximo está
precisando ser ouvido, colocar seus pensamentos, para encontrar o
melhor caminho para uma situação corriqueira, seja dentro do lar, do
trabalho ou até da casa espírita.

O prejulgamos, e achamos que temos atividades mais prioritárias e
de extrema importância.

Guardando as devidas proporções, quantas vezes, não criticamos a
mesma atitude que tivemos naqueles que se encontram no poder da
sociedade e não tem tempo para nos ouvir, para entender as nossas
reais necessidades?

Estamos realmente fazendo diferente?

Sentimo-nos incapazes e frustrados por não conseguirmos gerar a
mudança necessária, mas nos esquecemos de iniciar a mesma dentro de
nós, fato que exige muita vontade para os primeiros passos, mas também
a educação, a disciplina o vigiar para construirmos as bases de
valores, possibilitando que as mudanças realmente perdurem.

Exemplos ensinam muito mais que palavras. É dessa maneira que
veremos o cenário mudando. Não existe milagre.

É nosso dever ser o exemplo do que queremos que outros sejam. As
grandes mudanças são fruto de pequenas mudanças. O todo depende de
cada um.

Não sejamos omissos, meus amigos na missão que nos compete de
sermos multiplicadores e facilitadores, semeadores do bem.

Com muito carinho e respeito pela opinião e livre arbítrio de cada um.

02/03/2015

Médium: Lúcia ( Casa Virtual Luz Espírita – CAVILE)

Espírito: Irmão Matheus (Colônia Espiritual Maria de Nazaré)

Deixe uma resposta

Translate »